.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

sábado, 4 de outubro de 2014

OAS; CONSTRUTORA DA FAMÍLIA ACM (DEM) ENVOLVIDA EM DENUNCIA DE CORRUPÇÃO


CORRUPÇÃO: Odebrecht pagou propina de R$ 57 milhões a Ex-diretor da Petrobras preso na operação lava jato da Policia Federal, presidente da construtora terá que depor na justiça.


Presidente da empreiteira que tem seu sobrenome, Marcelo Odebrecht será intimado a depor na Justiça Federal, no âmbito da Operação Lavajato.

Segundo o colunista Claudio Humberto, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa contou, na delação premiada, que recebeu da Odebrecht propina de R$ 57 milhões (US$ 23 milhões), depositada na Suíça. O contrato obtido pela Odebrecht na Petrobras na obra da refinaria de Abreu e Lima (PE) é de R$ 1,5 bilhão.

A Odebrecht tem sido “parceira” do governo, até com obras no exterior bancadas pelo BNDES e longe do olhar de órgãos de controle.

Auditoria do TCU concluiu que Odebrecht, Camargo Corrêa e OAS superfaturaram em R$ 367,9 milhões seus contratos em Abreu e Lima. O caso Lavajato será submetido à rigorosa nova Lei Anticorrupção, que pune com cadeia o dono de empresa enrolada em atividade criminosa.

Costa era responsável pela obra da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, quando a empreiteira de Marcelo Odebrecht obteve um contrato de R$ 1,48 bilhão, em consórcio com a OAS. Uma auditoria do Tribunal de Contas da União também apontou que a Camargo Corrêa, Odebrecht e OAS superfaturaram seus contratos na obra de Abreu e Lima em R$ 367,9 milhões.

Acusado de envolvimento no esquema comandado pelo doleiro Alberto Youssef, preso pela PF, de lavagem de DINHEIRO e pagamento de propina a servidores, o Ex-diretor da Petrobras fechou um acordo de delação premiada e passou a cumprir prisão domiciliar desde a tarde de ontem.

O juiz Sergio Moro, que conduz o processo, pretende agora, incriminar os corruptores. A Odebrecht é hoje uma das maiores empreiteiras do País, ao lado de outros nomes também citados na Operação Lava-Jato, como OAS, Camargo Corrêa e Queiroz Galvão.

Fonte: Bocão News.

0 comentários