.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

sábado, 8 de dezembro de 2012

CARTA ABERTA AO MAGISTRADO QUALQUER


CARTA ABERTA AO MAGISTRADO QUALQUER


Não faz muito tempo que recebi, no mister de minhas atividades,uma vítima e assim tomei conhecimento pessoalmente que um certo amigo pessoal e intimo de um certo magistrado de algum lugar desse país,teria surrupiado um ALVARÁ JUDICIAL de 6 mil reais. A vítima, estando comigo, mostrei-lhe por “A+B” que o pagamento havia sido feito ao advogado, amigo pessoal do Juiz. Esse advogado, recebeu o dinheiro e continuou enrolando o cliente por quase 02 anos. Orientei ao cliente do advogado que fosse cobrar do mesmo com a cópia do alvará em mãos e que prestasse queixa na OAB no Ministério Público, acaso não fosse ressarcido.
Preocupado com a imagem do magistrado, liguei para ele e informei-lhe o ocorrido, porque o dito alvará levava a assinatura do Digníssimo Juiz.  E assim foram várias outras formas de atenção e dedicação;como elaborar sentenças, 40,50 sentenças por semana trabalhando até alta horas da madrugada porque acreditava na integridade e seriedade do magistrado.
Me senti usado quando pude perceber que entre minha consideração e a amizade por um bandido, o magistrado optou por me colocar frente a frente com meu algoz para  “reconciliar”, mesmo sabendo que isso jamais seria possível.Insistiu de tal forma nessa postura que acabou conquistando minha antipatia e daí a minha busca insana pela verdade dos fatos, do que todos diziam e eu prontamente rebatia. Veio da decepção horrenda sobre os fatos e as provas apresentadas!
Tinha que cumprir com minha obrigação perante Deus e minha consciência em busca da verdade. E pude perceber que  o grande mentor intelectual da sórdida vivência de grupos políticos partia da afinidade profunda de um magistrado. Ele mantinha de pé a hegemonia desse grupo, ele fazia esse grupo avassalar a cidade.
A sorte dele, é que sobreveio a minha situação clinica, com um grave problema cardíaco, arrefecendo minha indignação e minha revolta que me dispunha para os embates jurídicos, que sempre foi a  tônica durante toda a minha vida.
Aos 50 anos de vida, tive muitas decepções, porém nenhuma foi tão virulenta quanto ao magistrado, a quem hora redijo a carta aberta.
Assim, do mesmo jeito que o advogado ladrão que ficou com o dinheiro do cliente, é amigo do magistrado, do mesmo jeito que o chefe de quadrilha é amigo do magistrado;  do mesmo jeito o magistrado acreditaria que este redator não teria dignidade suficiente para se revoltar contra tudo isso e se expor para revirar as vísceras de quem tem sob sua proteção tais elementos desprezíveis.
Ao magistrado apresento Deus, para que tenha piedade do mesmo no momento que sua consciência estremecer perante o Criador, quando sobre ele se abater os males espirituais que levarão filhos e família para o abismo, então ele entenderá que o mesmo Deus que abençoa é o mesmo Deus que amaldiçoa.
Para o caixão Sr. Juiz não se leva casas, mansões, fortunas e benesses. E não tem dinheiro que pague o sofrimento de toda uma família pelo preço que o diabo cobra, tenha certeza disso.
Palavras de quem acreditava em Vossa Excelência! Se puder tenha um feliz ano novo.

0 comentários