.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

domingo, 3 de março de 2013

O COSTUME DA FALTA DE TRANSPARÊNCIA PÚBLICA

NO SERVIÇO PÚBLICO NÃO SE É DADO MAIS A POSSIBILIDADE  DE FALTA DE PUBLICIDADE E TRANSPARÊNCIA DE TUDO QUE FOR PÚBLICO, INCLUSIVE E PRINCIPALMENTE OS SALÁRIOS.



Acostumados com a falta de transparência pública o jornalista, agora chefe de comunicação da câmara de vereadores de Paulo Afonso, cidade sertaneja ao Norte da Bahia, publicou uma nota demonstrando indignidade com o fato de que um site local teria noticiado o quanto o mesmo como chefe de comunicação da câmara municipal ganharia;não que não mereça o reconhecimento e o sucesso que tem obtido, contudo, dentre as suas mais novas determinações está exigência de jornalistas com registros profissionais (DRT) e cadastrados na câmara para cobrir as sessões; esquecendo ele a decisão do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (RE 511961).Vejam a nota a baixo;
Paulo Afonso (BA) 02/03/2013

Leviandade

Luiz Brito DRT/ Ba 3.913
Foto reprodução
Na política brasileira - e na pauloafonsina - tudo gira em torno do poder, da vantagem pessoal, da salvação da lavoura de cada um. O combativo ex- vereador Ozildo Alves, sem mandato, foi de uma infelicidade extrema ao publicar o valor do salário a ser pago pela Câmara de Vereadores a este colunista, em uma matéria em seu conceituado site  por ocasião da minha ida para a Assessoria de Imprensa. 
Se é assim, não custa nada lembrar ao distinto, que o mesmo salário foi pago durante 4 anos  a ex assessora, mantida no cargo sob sua proteção, mas nunca foi preciso alardear quanto ela ganhava. Ou seja, a coerência política e partidária está intimamente ligada ao contracheque. Lamentavel a postura. As razões, claro, parecem ser pessoais. Ah!  ia esquecendo. O salário da moça era integral ou era rachado com o senhor?

0 comentários