.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

sexta-feira, 17 de abril de 2009

A SOBERBIA DOS ACADEMICOS DE DIREITO

CARO CECÍLIO,
Voce falou aí acima que o colega pode estar terminando o curso de Direito agora e pode estar naquela fase que podemos comparar até com a adolescencia. É uma quase "adolescencia jurídica", ou melhor, "aborrescencia".
Rapaz, vou te contar uma: Apesar de já estar há 11 anos como Oficial de Justiça, resolvi fazer Direito pra tentar melhorar um pouco mais, quem sabe. E, por acaso, e por disponibilidade de horário, peguei uma matéria no 9º semestre.
Cecílio, a coisa é séria! A sala é cheia de "gente importante". Semblantes sérios se misturam em meio à notebooks abertos, cheios de "dados imprescindíveis para a vida do nosso país". Aquele ar de "doutor" que passa pelos colegas quase que dizendo "EU SOU O PORRETA!".
Pude observar, porém, o pânico estampado no rosto de alguns dos "nobres quase- bacharéis" no dia da prova. Mas, deve ser a quantidade de compromissos importantes que eles tem.
Enfim, estava eu no outro dia, com minha calça jeans surrada, minha pastinha de mandados, subindo um elevador de um prédio comercial quando um dos "nobres quase-bacharéis" entrou todo engravatado, carregando uma pilha de processos e nem "bom dia" deu à ninguém. Comentou com um colega dele que iria passar ainda em Sussuarana para devolver alguns processos. Uma senhora, que estava no elevador, olhou para os tais e comentou com o filho pequeno: "-Aí, César, quero te ver um dia assim. Quero te ver doutor!". Eles fingiram não ouvir, mas, se entreolharam e encheram o peito, ainda soltando a deixa "-Vou adiantar que eu tenho que falar com o juiz pra ver se ele despacha logo!".
Eu, no auge da minha insignificancia, pensei comigo: Isso é que é "gente importante".
Descemos no térreo, eles seguiram para um lado carregando aquela pilha de processos. Eu, apressei o meu passo, estava um dia lindo, é bom aproveitar o sol na praia entre as 10 horas e o meio-dia. Dizem que é menos prejudicial à pele.
A propósito, esse escritório que o importante colega "trabalha" para R$ 300,00 aos seus estagiários.

OBS: a Cronica acima é de autoria de um colega do trabalho ,do TJ/Ba. Demostra a soberba e o casamento da mediocridade, verificando-se como se forja advogados despreparados neste Estado.(http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=1449600&tid=5324124224143776213&na=2&nst=79), ele faz referencia a um comentário meu, na comunidade do TJ.Ba, do orkut... parabens caro Luiz, bem lucida a sua colocação.

1 comentários

Patrícia Reis 19 de abril de 2009 11:28

Crônica perfeita! Shooooow! Não tenho nada à acrescentar!