.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

quarta-feira, 13 de março de 2013

PAPA LATINO É A CERTEZA DO CUMPRIMENTO DAS PROFECIAS

NA VERDADE ,NA VERDADE; A HUMANIDADE ANSEIA PELO FIM DOS TEMPOS!

A ELEIÇÃO DE UM PAPA ARGENTINO, LATINO AMERICANO, É COM CERTEZA O PRENUNCIO DA CONFIRMAÇÃO DAS PROFECIAS, DENTRE AS QUAIS A DE NOSTRADAMUS

"Em 1999, sete meses
do céu virá um rei de assustar
ressuscita o grande rei d'Angoulmois
antes e depois, a guerra reinará pela felicidade"


A profecia que ficou conhecida como profecia dos papas é atribuída a São Malaquias (1094-1148), bispo de Armagh, Irlanda. A profecia dos papas de São Malaquias é simplesmente uma lista de nomes em latim e cada nome estaria associado informações pessoais da vida ou do pontificado do Papa, sendo que na lista resta somente mais um nome e um último e único parágrafo atribuído ao último Papa e ao fim da Igreja católica (que ocorreria perto do fim do mundo).
Segundo conta a história, São Malaquias teria tido uma visão ao visitar o Papa em Roma, em 1139, que estava muito preocupado com os problemas da época. Malaquias teria dado a profecia ao Papa Inocêncio II, que se sentiu confortado ao ver que a Igreja ainda tinha muitos anos pela frente. A profecia teria, então, desaparecido e sido reencontrada somente em 1590 para ser publicada cinco anos depois.
É considerado que o fato da profecia de São Malaquias ter ficado na obscuridade, só tendo sido publicada em 1595, como o mais sério contribuinte para alegarem a não autenticidade da profecia. Por que uma profecia escrita no século XII viria a ser conhecida somente no século XVI ? Seria isto impossível de acontecer? Sim, para muitos. Mesmo que não tenha sido escrita por São Malaquias, poderia ter sido escrita por uma outra pessoa de sua época. Existem casos de profecias antigas que foram descobertas ou reencontradas somente séculos após terem sido escritas originariamente. Mas seria inútil tentar compreender a discussão relativa à autenticidade do documento ou provar alguma coisa.
O primeiro autor que falou da Profecia de São Malaquias foi o beneditino Arnold de Wion, em seu Lignum Vitae (Árvore da vida), ornamentuem et decus Ecclesiae, publicado em 1595 e dedicado a Felipe II, rei da Espanha. Ele mesmo diz que nenhum outro escritor havia ainda mencionado a profecia. A profecia se trata de uma lista de 111 nomes em latim, além de um parágrafo referente ao último Papa. O texto fornecido por Wion em seu Lignum Vitae foi o seguinte:
"PROPHETIA S. MALACHIAE ARCHIEPISCOPI
1. Ex castro Tiberis. 
2. Inimicus expulsus. 
3. Ex magnitudine montis 
... 
109. De medietate lunae 
110. De labore solis 
111. De gloria olivae

In persecutione extrema sacrae Romanae Ecclesiae sedebit Petrus Romanus, qui pascet oves in multis tribulationibus; quibus transactis, civitas septicollis diruetur; et Judex tremendus jubicabit populum."
O último parágrafo diz que "Na última perseguição à Santa Igreja Romana, Pedro Romano será elevado ao pontificado. Ele apascentará o rebanho no meio de numerosas tribulações, e então, a cidade de sete colinas será destruída e o Juiz temido julgará o mundo".
O próximo papa, de número 111, recebeu o nome latino "Glória das oliveiras" ou "Glória às oliveiras" e João Paulo II recebeu a legenda "Trabalho do sol". Depois do papa 111, haveria o último Papa, Pedro II, de acordo com alguns, um judeu convertido segundo uma profecia de Melanie Calvat.(1*)

o AntiCristo sairá do povo judeu da tribo de Dan, seguindo a antiga profecia: “Eis que Dan se tornou cobra no caminho e serpente na trilha: mordeu o pé do cavalo na esperança de fazer o cavaleiro perder os estribos’ (Gen. XLIX-17). Será, portanto, parecido com a serpente na tocaia no caminho e oculta na margem da trilha, para golpear os que tomam o caminho da justiça (Salmo XXII.3) e para envenená-los com sua malícia. Nascerá como os outros de um pai e uma mãe, mas não de uma virgem, como falsamente dito por alguns supostos iluminados. E também não de um bispo e de uma religiosa, como outros dizem, mas de uma mulher perdida e impura e de um bandido abominável. Será completamente concebido no pecado, engendrado no pecado e parido no pecado.
Ao atingir a idade varonil, irá a Jerusalém, onde deixará perecer, nos mais atrozes suplícios, aqueles cristãos que não conseguir converter à sua doutrina e levantará seu trono no tempo santo. De fato, reedificará o templo sagrado que Salomão erigiu, outrora, dedicando-o ao Senhor; restaurará o seu antigo esplendor e nele residirá depois de se declarar falsamente o filho único de Deus Altíssimo.
Primeiro atrairá os reis e os príncipes da Terra e através destes, os outros homens. Ele gostará de visitar os lugares já visitados por Nosso Senhor Jesus Cristo e destruirá completamente todos aqueles que ainda contam a glória do Salvador. Em seguida, enviará a todo o mundo mensagens e missionários. Através de seus representantes ou através de sua própria pessoa, seu poderio se estenderá de um mar a outro, do Oriente ao Ocidente, do Setentrião ao Meio-dia.
Ele fará muitos prodígios e milagres nunca vistos até então. A seu mando, o fogo descerá do céu; as árvores crescerão de repente e de repente se encherão de flores e frutos; o mar se tornará furioso e será logo acalmado; os objetos serão aparentemente transformados; as águas subirão em direção às nascentes, contrariando as leis da natureza; o ar será violentamente agitado pelos ventos e pelas tempestades.
Ele efetuará outras maravilhas que deixarão os homens estupefatos. Assim, ressuscitará publicamente os mortos e será tamanho seu prestígio que ‘até os próprios escolhidos, se possível, seriam desencaminhados’. (Mat. XXIV-24). Mas tudo isso será mentira e uma afronta à verdade. Será através das artes mágicas e de fantasmagorias que ele se imporá à credulidade dos homens, como Simão o Mago, que substituiu a sua própria pessoa por um cordeiro e assim enganou o homem que pretendia golpeá-lo até a morte.
Entretanto, as testemunhas destes estranhos prodígios, até os perfeitos e predestinados, se interrogarão inquietos, querendo saber se ele não é, por acaso, o Cristo triunfante, cuja vinda foi anunciada pelas profecias, para o fim dos tempos. Mas, se sua fé vacilar, eles serão preservados da queda final, pois estes prodígios serão apenas artifícios diabólicos e apenas os pecadores calejados e os malvados os aceitarão como autênticos.
O AntiCristo provocará no mundo inteiro uma terrível perseguição contra os cristãos e contra os justos. Utilizará três tipos de armas contra os fiéis: o terror, os presentes e os milagres. Acumulará de ouro e de prata os que acreditarão nele – porque em seu tempo, todos os tesouros ocultos nas profundezas da terra e nos abismos dos mares serão descobertos. Os homens que não puder corromper com os presentes, ele tentará domar pelo terror, os que resistirem ao terror, ele tentará seduzir com o espetáculo de seus prodígios; e os que saírem vitoriosos dessa prova suprema, ele matará, na presença do povo, em meio a terríveis suplícios.
Depois de falar do AntiCristo, só resta falar de seu fim. Quando este filho do demônio tiver atormentado o mundo durante três anos e meio, submetendo o povo de Deus aos mais refinados suplícios e outorgando, assim, a coroa do martírio aos fiéis que se mantiveram perseverantes na fé, chegará finalmente, para ele o dia do juízo de Deus, como escreveu o santo apóstolo Paulo. “‘O Senhor destruirá com um sopro de Sua boca e o aniquilará com o esplendor de sua aparição’ (2ª Carta aos Tessalonicenses, II-8).
O esplendor desta aparição de Cristo será de tal forma fulgurante que se parecerá com um raio de luz ainda não criada. A Besta será tomada por um terror incoercível, as vísceras sairão de seu corpo, como as de Judas, ficará assim, todo sujo e perecerá, sem que qualquer pessoa lhe preste auxílio”.(2*)

0 comentários