.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

terça-feira, 12 de julho de 2016

PSICANÁLISE : FILHOS QUE DESPREZAM OS PAIS....


Os bons filhos nunca abandonam seus pais



Os pais criam e educam seus filhos reservando-lhes abrigos de amor e com maior aconchego doam seus corações para que seus filhos façam moradas eternas. Também lhes dedicam amor imensurável pelo qual muitos são que não prezam.
Mesmo assim, os verdadeiros pais nunca abandonam seus filhos, mesmo que estes não os prezem e desprezem. Os pais sempre estão disponíveis para aceitar seus filhos, por mais que as feridas estejam sangrando, causadas que são pelo desamor incompreensões.  
É comum ver-se pais solitários reservados em seus cantinhos. A solidão dos pais tem tudo a ver com desprezo dos filhos. Que contrate: abandonar quem lhes reserva morada no coração e amor imensurável. Quantos de nós não passamos um bom tempo sem nos abrir ao paterno – mater família, para pelo menos ouvir a voz dos nossos pais e escutar as ordens do coração paterno? Quando alguém não tem tempo para seus pais, não lhes sobra muito tempo para amar, pois o seu coração multa-se em rocha de frieza e pequenez de amar. È que o tempo transforma-se nosso inimigo e razão para nossas desculpas. E, assim, continua na sociedade, uma desenfreada distância entre os criadores e suas crias.
O pai e a mãe querem o filho sempre. Enxergam-lhes sempre crianças. Tratam-lhes com o mesmo amor dos tempos imberbes e pueris, agiganta-se para amar com a mesma intensidade do riso choro primeiros, cobre-lhes de amor e cuidados. E, então, merecem desprezo quando mais precisam ser amados? Reservam-lhes a solidão e o esquecimento? Penso que há algo errado nesta relação e de desconstituição de valores crescentes.
Apenas para que possa servir de reflexão, acreditamos que a família é a base da sociedade. Nossos pais, em alguns casos, apenas um só desempenha o papel plural na relação, ou por ausência ou omissão do outro, por isso vê-se uma dedicação redobrada nos seus papéis diferentes.
Tudo essa reflexão para tentar chamar a atenção do mundo de que nunca devemos desprezar quem nos ama, no deu vida e respira por nós. Sonha e projeta seus filhos para a felicidade, idealizador que é da felicidade de suas crias, esquece-se dos cuidados de que precisa para continuar esteios, firmes fisicamente e com saúde para um envelhecer saudável, reservam-lhe à solidão. Que paradoxo!
Mas é bom que se diga que ainda existem filhos que se sentem confortáveis nas suas consciências e tratam seus pais da mesma maneira que Deus no ensina.
Não custa nada ir á casa de seus pais com freqüência, abraçá-los no coração e fisicamente. Tenho certeza que o seu coração vai se alegrar, imaginem o deles! Penso que o maior presente que o pais querem receber é atenção dos filhos.
Nilson de Jesus Sousa (Nilson Ericeira)

0 comentários