.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

sexta-feira, 27 de abril de 2012

QUALQUER SEMELHANÇA COM UM CERTO EX VEREADOR DE PAULO AFONSO É MERA CONCIDENCIA.

Político atualmente cumpre a pena no semiaberto em Ponta Porã.

Ele diz ser inocente das acusações e aguarda julgamento de recurso.



VEREADOR QUE CUMPRE PENA POR TRÁFICO DIZ QUE ESTÁ "PRONTO PARA SE DEFENDER"

Ricardo Campos Jr.Do G1 MS
Comente agora
Viana durante a sessão ordinária desta quinta-feira (26) (Foto: Edson Ferraz/TV Morena)Viana durante a sessão ordinária desta quinta-feira
(26) (Foto: Edson Ferraz/TV Morena)
O vereador Joanir Viana, de Ponta Porã (a 346 km de Campo Grande), disse ao G1 que está disposto a enfrentar qualquer tipo de reação negativa dos colegas durante seuretorno aos trabalhos da Câmara Municipal da cidade, em sessão ordinária nesta quinta-feira (26). Ele cumpriu cerca de 2 anos de prisão por tráfico de drogas em regime fechado e foi transferido ao semiaberto por autorização de Justiça, o que permitiu que reassumisse sua vaga.
“Estou preparado para qualquer situação. Se tiver alguma represália, eu estou preparado para me defender”, disse em entrevista ao G1 por telefone. Ele afirma ter decidido voltar à câmara atendendo a um “clamor popular”.
Por estar em semiaberto, ele sai durante o dia e pode frequentar as sessões, devendo retornar ao presídio somente para passar a noite. O o assessor jurídico da câmara, Alex Resende, explicou que não existe norma que impeça o retorno do político, tendo em vista que ele não teve o mandato cassado e pode participar das sessões.
No entanto, o vereador Bruno Reichardt (PMDB), que é do mesmo partido de Viana, entrou com pedido de cassação na terça-feira 24. Segundo ele, a solicitação foi feita a pedido da regional do partido em Campo Grande, depois da divulgação do retorno do vereador às atividades legislativas. Os vereadores devem votar a solicitação na sessão desta quinta-feira.
“Eu acho que isso é um direito dele [Reichardt]. Não tenho nada contra a pessoa. Acho que tudo o que a lei ampara faz parte e é válido”, disse o vereador, “Se por ventura vierem a cassar meu mandato, sem problema, mas ate que isso aconteça eu vou frequentar as sessões”.
Investigação
Conforme dados da Justiça, Viana e outras seis pessoas foram alvo de operação da Polícia Federal em 2009. Eles foram presos no dia 16 de abril daquele ano em uma fazenda na cidade de Caarapó, a 273 km de Campo Grande. Naquele dia, agentes monitoraram o pouso de um avião que trouxe um carregamento de cocaína vindo do Mato Grosso. O peso dessa droga não foi informado, mas de acordo com o inquérito, foram encontrados 93,2 quilos de cocaína estocados na propriedade.

Viana afirma que é inocente dessas acusações. “Quanto a todo esse fato eu tenho certeza absoluta que em Brasília eu serei inocentado. A verdade virá à tona. Eu tenho plena consciência de que eu sou inocente”, explica.
Depois da condenação, Viana chegou a ficar dois meses na Câmara de Ponta Porã, beneficiado com habeas corpus concedido em 2010. No entanto, foi preso novamente após recurso interposto pelo Ministério Público Estadual (MPE).
O vereador foi levado para o presídio em Dois Irmãos do Buriti, a 113 km de Campo Grande. Conforme dados do processo, a defesa entrou com pedido de progressão de regime, aceito em 9 de abril de 2012. Desta forma, ele foi transferido ao semiaberto de Ponta Porã, tendo que comprovar existência de função lícita. No caso dele, empresário, produtor rural e vereador.
Segundo o advogado que representa o vereador, Elton Jaco Lang, o político deve cumprir aproximadamente 6 ou 7 meses do regime semiaberto e, posteriormente, passará para o regime em liberdade, quando deve se apresentar uma vez por mês à Justiça

0 comentários