.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

PORTUGAL; CRISE AMEAÇA DEMITIR SERVIDORES PÚBLICOS

A CRISE QUE PASSA  A NAÇÃO PORTUGUESA TEM POSTO FORA DO PAÍS  JÁ QUASE 20% DA POPULAÇÃO, SEGUNDO AGENCIAS DE NOTÍCIAS PORTUGUESAS QUASE 2 MILHÕES DE PESSOAS DEIXARAM  PORTUGAL EM BUSCA DE UMA SITUAÇÃO MELHOR DE VIDA. A GRAVE CRISE NACIONAL PORTUGUESA TEM LEVADO OS PORTUGUESES A EXTREMOS DAS DROGAS, ALCOOLISMOS E VIOLÊNCIAS RESIDENCIAIS. PORTUGAL ESTÁ ATOLADA NUM PROFUNDO MARASMO FINANCEIRO E RECESSO ECONÔMICO, ESPERANDO QUE O FMI LIBERE RECURSOS QUE ESTÃO A NECESSITAR. COMO SEMPRE O PORTUGUÊS MANTÊM O ESPÍRITO AVENTUREIRO E SE LANÇAM ALÉM MAR, EM NOVAS EMPREITADAS PARA RESOLVER SEUS LAMENTOS.(Cecílio Almeida Matos).


Manuel de Almeida/Lusa
Marques Guedes afirma que o que está em causa "é a redução dos encargos do Estado com pessoal"
Gostou desta notícia?
COMENTÁRIO MAIS VOTADO
"E quando reduzem os deputados ?"
Anónimo
10 Janeiro 2013
Relatório do Fundo Monetário Internacional
Marques Guedes: "Redução tem de ser feita com saída de pessoas"

O secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Luís Marques Guedes, não excluiu esta quinta-feira futuros despedimentos na função pública e considerou que o debate da reforma do Estado poderá resultar na saída de funcionários públicos.


No final do Conselho de Ministros, Luís Marques Guedes foi questionado sobre o relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) com propostas para a redução da despesa pública, que recomenda a redução do número de funcionários públicos.
Interrogado se os despedimentos na função pública vão ser uma realidade em 2013, o secretário de Estado da Presidência considerou que "essa não é uma questão que possa ter uma resposta concreta, de sim ou não" e que o debate sobre a reforma do Estado será determinante.
"Do debate nacional sobre as funções do Estado poderão, depois, também resultar algumas outras medidas a tomar relativamente a essa dimensão no plano dos recursos humanos por parte do Estado, mas esse é um debate que vamos travar", acrescentou.
Marques Guedes reiterou que "ver-se-á, de acordo com as que forem as conclusões desse debate nacional, o que há a fazer também relativamente aos recursos humanos".
"A redução tem sempre de ser feita por recurso à saída de pessoas do Estado. Se chama a isso despedimento, se chama a isso rescisão por mútuo acordo, se chama a isso outra coisa qualquer, eu acho que é uma questão de linguagem", respondeu quando questionando sobre a possibilidade de haver redução de funcionários sem despedimento.
"O que está aqui em causa é a redução dos encargos do Estado com pessoal, ou seja, a redução do peso dos recursos humanos nas várias administrações públicas", concluiu.
Marques Guedes argumentou ainda que "isso é matéria que sobrepesa sobre o Orçamento do Estado, ou seja, leia-se, sobrepesa sobre os contribuintes" e defendeu que é essencial redimensionar o Estado para reduzir a carga fiscal.
FONTE: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/marques-guedes-reducao-tem-de-ser-feita-com-saida-de-pessoas

0 comentários