.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

A PREFEITA DE GLÓRIA ,ESPOSA DO DEPUTADO FEDERAL MÁRIO NEGROMONTE, AUTORIZOU SERVIDORES HUMILHAR AMBULANTES?



CONTRA PROVAS E FATOS NÃO EXISTEM ARGUMENTOS
Não adianta tapar o sol com a peneira, a filmagem abaixo mostra os fatos como de fato aconteceram, os maus tratos e humilhações que uma senhora, autorizada por uma licença para vender; foi humilhada  na condição de ser humano e ambulante...


Exclusivo: Moradora da Quixaba é humilhada na Festa de Sto. Antônio em Glória

Arquivado em: Reportagens | 

Enquanto milhares de pessoa curtiam a festa no pátio e a “nata” da prefeitura, mais convidados, bebiam e comiam no Camarote VIP ao lado do palco, algumas pessoas simplesmente queriam ganhar o pão de cada dia.
No último dia sábado (01/06), começou um dos eventos mais significativos do calendário gloriense, a Trezena de Santo Antônio.
Clique para ampliarNo entanto para Dona Edvalda Lima Santos, 34 anos, residente no Povoado Quixaba, foi diferente.
Para trabalhar na festa dona Edvalda pagou a quantia de R$ 21 reais à Prefeitura e participou de várias reuniões com outros ambulantes.
Com o recibo de pagamento e devidamente credenciada, ela e o seu marido começaram a vender suas cervejinhas na festa, afinal precisava ganhar uns trocados para comprar o pão de cada dia.
Contudo, a festa para ela não terminou bem. Por ingenuidade ou malicia, entre as mais de 3 caixas de cerveja SCHIN que vendia, havia 12 latinhas da cerveja concorrente.
Um home não identificado, que afirmava ter pago pela festa a prefeitura, ao perceber isso, segundo Dona Edvalda, jogou sua latinhas no chão e auxiliado por funcionários contratados pela prefeitura, a expulsou da festa.
Assista o vídeo:




A ação truculenta, presenciada por várias pessoas causou revolta e muitos saíram em defesa da pobre vendedora, que diante da humilhação, passou mal e teve de ser socorrida ao posto médico.
Dona Edvalda não parava de chorar. O “dono da festa”, que alegava ter pago dinheiro a prefeitura, não poderia, apenas ter tirado as 12 latinhas e ela continuar a vender seus produtos na festa? Por que retirá-la bruscamente, humilhando-a?
Com muito sacríficio e graças a intervenção de alguns policias militares ela voltou para a festa, mas assim como poucos esqueceram a festa e o serviço de primeira, oferecido  para a “nata” da prefeitura que estava no CAMOROTE VIP, temos a certeza, que as lágrimas de Dona Edvalda, ficaram para sempre lembradas por aqueles que abominam a injustiça.

0 comentários