.

.

Total de visualizações de página

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

quarta-feira, 30 de abril de 2014

CRÔNICAS DE BROGODÓ CITY: JUIZ QUE ATUOU NA COMARCA RECEBE O TÍTULO DE CIDADÃO BROGODENSE

QUANDO UM MAGISTRADO POR PURA VAIDADE ACEITA UM TÍTULO DE CIDADÃO DE UMA CIDADE DO SERTÃO, É PORQUE A JUSTIÇA PERDEU MAIS UM MEMBRO PARA A SUA INDEPENDÊNCIA
DESDE QUANDO POLÍTICO PODE TER LAÇOS DE AFETIVIDADE COM MAGISTRADOS?



Brogodó é uma cidade estranha, acostumada a cooptar autoridades com mimos e gracejos que vai desde de um mísero papel expedido pela Câmara de vereadores a depósitos em contas correntes, engrossando o caldo da corrupção.

Um vereador que é genro de um Juiz, que vivia falando mal do outro magistrado que agora é indicado para receber a comenda honorífica de cidadão brogodense. Esse mesmo vereador propõe (como sempre) que o dito magistrado seja alçado a cidadão local.
Faria parte do  jogo da política se não fosse um magistrado agraciado com tamanha lisonja.

Agora imaginem se um Deputado Federal resolve no Congresso Nacional indicar magistrados de outros Estados da federação para ser  cidadão do estado tal e qual? com que imparcialidade ficaria Ministros e Magistrados federais? Aliás, é de se aperceber que não se tem notícias de magistrados federais recebendo títulos de cidadãos municipais locais, a imparcialidade na justiça federal é bem maior e beira a intocabilidade. Já a vaidade de Juízes de Direito é bem maior em muitos casos a ponto de um vereador, que entrará em algum momento com um recurso na justiça eleitoral local, seja o mesmo que agraciou o juiz com o titulo de cidadão municipal e o referido magistrado, por coincidência venha eventualmente ser o juiz eleitoral da localidade. Onde ficará a imparcialidade do julgado?

Chega ser uma vergonha, um magistrado se dobrar a tamanha vaidade para receber um pedaço de papel que o torna cidadão de uma cidade; quando acima de tudo ele, o magistrado, já é cidadão brasileiro. É o que importa, é o que bastaria. Mas não a vaidade arregala os olhos e enche o delírio do orgulho para que a justiça cega,surda e muda; seja comprada com mimos tão imbecis tais e quais.
Juízes, não são para ser cooptados por políticos, com distribuição de simpatias e título de municipalidade, fere a independência do PODER JUDICIÁRIO. É vaidade de mais, para alguém que a bem pouco tempo atrás era chamado em toda Brogodó de "bichona" !  

0 comentários